NOVAS TECNOLOGIAS – MONITORAÇÃO A QUALQUER HORA!

 Publicado em março de 2014 na revista Hospitais Brasil

Captação de sinais vitais e transmissão por meio de tatuagens, lentes de contato ou camisetas. Processamento e diagnostico por meio de i-phones e tablets via Wi-Fi. A tecnologia tem permitido que o monitoramento de sinais vitais e fisiológicos aconteça longe dos centros de diagnóstico e durante todo o período do dia, melhorando o acompanhamento do organismo para portadores de doenças como cardiopatias, diabetes, hipertensão, ou até mesmo de forma preventiva para aqueles que tem a preocupação com seu estado de saúde independente da apresentação de sintomas. Obviamente estes sistemas ainda não tem a pretensão de substituir o procedimento clinico de diagnóstico, mas são na verdade sistemas de alerta de alteração do comportamento dos sinais fisiológicos que tem como maior virtude encurtar o tempo de ação no caso de uma crise e aumentar as chances de sucesso pelo tratamento precoce. A tecnologia tem proporcionado as pessoas a possibilidade de desfrutar do cuidado com a saúde de uma forma nunca experimentada, transpondo as barreiras do empirismo, na alimentação regrada e hábitos saudáveis, para a monitoração direta e imediata de parâmetros físicos.

Veja algumas das últimas novidades neste campo:

tatoo

1 – Pesquisadores da Universidade de Illinois desenvolveram uma tatuagem eletrônica que pode ser impressa no corpo para monitorar os sintomas dos pacientes, medir a frequência cardíaca, temperatura, estresse e hidratação, e em seguida, enviar a informação para o seu médico.

O projeto pioneiro do cientista John Rogers, é o mais recente trabalho desenvolvido na área da eletrônica flexível. Sua equipe já projetou circuitos eletrônicos elásticos com o apoio de um polímero elástico, que poderia simplesmente ser aplicado na pele como uma tatuagem temporária, mas com a desvantagem de que ele poderia facilmente ser lavado.

Uma das principais aplicações seria a capacidade de monitorar a cicatrização de feridas. Com uma tatuagem eletrônica aplicada perto da ferida cirúrgica antes que do paciente sair do hospital, permitiria que os médicos acompanhassem o processo de cura à distância. Os dispositivos também poderiam acompanhar os pacientes enviados para casa após uma cirurgia com um sistema de monitoramento que faria o trabalho de várias máquinas pesadas, tais como electromiógrafos e eletrocardiogramas, normalmente confinados em hospitais.

lente

2 – O Google XLab anunciou recentemente que está desenvolvendo lentes de contato para ajudar pessoas com diabetes a controlar seus níveis de açúcar no sangue.

“Estamos testando lentes inteligentes fabricadas para medir a taxa de glicose nas lágrimas'”, explicaram os responsáveis pelo projeto, Brian Otis e Babak Parviz.

As lentes funcionam com um pequeno dispositivo conectado a um detector de glicose em miniatura no material com o qual são feitas as lentes. Segundo o Google, os protótipos puderam determinar a glicose nas lágrimas a cada segundo. Os pesquisadores analisaram, ainda, a possibilidade de integrar sinais luminosos para que o produto alerte sobre níveis perigosos de açúcar no sangue. Segundo Brian Otis e Babak Parviz, que encabeçam o projeto, embora ainda em estágio inicial, a ideia já passou por diversos testes clínicos que ajudaram na refinação do protótipo. Eles ainda terão de enfrentar processo regulatório norte-americano e fechar parcerias que ajudem no desenvolvimento das lentes.

camiseta

3 – No final de setembro de 2012 a Maxim apresentou uma série de monitores diretamente disponíveis na forma de camisetas com sensores integrados. A camiseta contém sensores de tal forma integrados que facilitam o acompanhamento dos sinais vitais de um paciente, sem a necessidade de se ligar fios a equipamentos o que além de custoso é demorado e incômodo.

A nova camiseta tem sensores de 3 terminais para ECG, temperatura e movimento tudo conectado um microcontrolador de baixo consumo e um sistema de comunicação wireless.

Eletrodos secos, sem a necessidade da “gelatina” que atualmente é usada nos exames ECG, o sistema é muito mais cômodo, pois pode fazer o monitoramento de forma confortável pelo simples contato.

sensor

4 – A Elfi-Tech, empresa israelense finalista da Nokia Sensing Xchallenge, está trabalhando em um sensor minúsculo que pode detectar o fluxo de sangue sob a pele, o pulso, o estado da coagulação, e o envelhecimento vascular. Utilizando estas informações, a plataforma pode detectar perturbações de saúde relacionados à patologias cardíacas, vasculares, respiratórias e neurológicas. Tudo isso por meio de um sensor chamado mDLS.

O sensor mDLS utiliza espalhamento dinâmico de luz para detecção, não tem componentes móveis, e pode ser aplicado em quase qualquer lugar no corpo. A Elfi-Tech está focada na otimização do sensor, e espera ser capaz de integrá-lo em uma variedade de dispositivos de consumo de empresas de terceiros, como relógios, óculos, ou qualquer outro tipo de gadget.